sexta-feira, outubro 17, 2008

Question marks

Alguém já disse que "o centro é onde nada é certo".
Se isto estiver perto da verdade, então posso dizer que passei boa parte da minha vida no seu centro.
A incerteza se tornou - ou sempre foi? - estranhamente familiar, mas, em tantos anos de relacionamento não nos tornamos nem um centímetro mais próximas. Ao menos, eu não me tornei. Ela porém, se aproximou grandemente. Ao ponto de, tantas vezes, ter feito da minha vida, a sua sala de estar.
Se há uma inveja verdadeira abrigada na minha alma, é a inveja de todas as pessoas que se sabem convictas da direção na qual devem (motivadas por desejo, e não, obrigação) guiar os seus objetivos de vida. E, tão simples quanto respirar, os perseguem.
Para mim, olhando de fora e de muito longe, é uma linha reta. Um caminho preciso, constante, crescente. Nada fácil, eu sei. Mas brindado de clareza tamanha, que até pode cegar. São aqueles abençoados que nasceram sabendo, por assim dizer, o que fariam deste seu tempo por aqui.
Eu, sempre que topo com alguém assim, fico louca de vontade de perguntar como. Como é que se faz para ser assim, para saber tanto assim de si mesmo, para ter tanta força e senso de direção assim.
Estas são pessoas carregadas de magia, tenho certeza. Avançam certeiras, e , ao seu comando impetuoso, portas, ou ao menos janelas, se abrem.
Vejo as possibilidades que estão embutidas em minhas imobilidades periódicas. É provável que eu esteja batendo nas portas erradas. É provável que não tenha chegado a "minha vez" ( e isto soa tão conformista que me dá vontade de gritar. Mas acontece.) É provável que eu, simplesmente, tenha feito uma escolha equivocada e, e algum momento, vá ter de admitir isso. É provável que eu tenha sido a pessoa errada, na hora errada. É provável que eu tenha tido a covardia de me eximir da responsabilidade nos caminhos que tomei, e eles estejam todos querendo que eu, agora, pague esta conta.
Sim, a vida que é mãe e não, madrasta, também cobra nossas inadimplências. Algumas vezes, cobra bastante caro. Noutras, estamos tão empobrecidos no espírito, que qualquer troco soa a fortuna.
Um outro Cara disse , certa vez: "Isto também passará". Suspeito que ele pensasse que não custava nada lembrar aos pobres mortais, primeiro, que não são tão pobres quanto se sintam em dado momento, e segundo, que a transitoriedade de todas as coisas é a única constante.
De minha parte, ouço todas estas entrelinhas. Porém, fico na dúvida - novamente - se elas me ouvem. Se me enxergam. E, se irão me responder.

7 comentários:

Aline Christall disse...

Estas incertezas também me perseguem todos os dias. Talvez um dia as entrelinhas "pularão" para as linhas e acabarão nos respondendo.

bjim.

Beatriz disse...

É num momento assim, de inquietude na alma, que eu desejaria que não houvessem entrelinhas, que todas as coisas fossem ditas em alto e bom som, com todas as palavras pronunciadas, e que viessem da 'vida' ou de quem desejaríamos que a comandasse... mas que nos chegassem sem que precisássemos de implorar por definições. Meio confuso (rs) não é amiga, mas é um momento assim que estou vivendo.

Teu texto, porém, nada tem de confuso, é sentidamente belo e traduz muitas das inquietações que por vezes nos acometem a alma.

Belo também o poema anterior. A imagem da deusa da beleza, também sensualmente terna.

Te deixo com um raio de sol que está brincando aqui na minha janela e um beijo no teu coração, com meu carinho.

CRIS disse...

Oi, Bia...

Quando encontro uma pessoa que sabe exatamente o que quer também fico admirada e encantada. meu filho é assim, não vacila. Sou como sou...sei mais o que não quero do que quero...rsrsr

Beijão, querida.

Anônimo disse...

MOCHO VELHO
EU PODIA TER ESCRITO ISTO, SEM MENTIR , SEM FALSEAR SEM ME FORÇAR...Tem razão: a incerteza é a única constante.

Bia Pontes disse...

Que boa surpresa! Abraços, querido José!

edson marques disse...

Bia,


ouça as entrelinhas.

E as estrelinhas, também.



Abraços, flores, estrelas..

Lu Dias disse...

Fique tranqüila e foque na sua realização, ela vai chegar!

Beijo, Flor mais Linda!!